América do Sul se tornou o novo epicentro da pandemia do novo coronavírus.

By on 13 de Junio de 2020 0 225 Views

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a América do Sul se tornou o novo epicentro da pandemia do novo coronavírus.
“Vimos muitos países sul-americanos com número de casos aumentando, e claramente há preocupação em muitos desses países, mas certamente o mais afetado é o Brasil a esta altura”, afirmou Michael Ryan, diretor do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS) em uma coletiva de imprensa virtual.
O representante da entidade internacional também disse que a maioria dos casos se concentra na região de São Paulo, mas também os estados do Rio de Janeiro, Ceará, Amazonas, Pernambuco estão sendo afetados. “Mas em termos de taxas de ataque, as mais altas estão, na verdade, no Amazonas, com cerca de 490 pessoas infectadas para cada 100 mil habitantes, o que é uma taxa de ataque bem alta”, destacou Michael Ryan.
Com isso, o continente sul-americano assume o lugar que era até então dos Estados Unidos e já coube antes à Europa e à China como a região do mundo mais preocupante por causa do grande número de novos casos de Covid-19 registrados diariamente.
“Não há dúvida de que nossa região se tornou o epicentro da pandemia de Covid-19. Agora não é hora de relaxar as restrições ou reduzir as estratégias preventivas; agora é a hora de permanecer forte, permanecer vigilante e implementar agressivamente medidas comprovadas de saúde pública”, disse Carissa Etienne, diretora do escritório regional da OMS, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).
O Brasil é a nação sul-americana que está na pior situação. Com mais de 1.000 mortes por coronavírus em um único dia, o Brasil superou nesta sexta-feira (22) a Rússia e se tornou o segundo país do mundo em número de casos confirmados, atrás somente dos Estados Unidos. De acordo com o último balanço do Ministério da Saúde, nas últimas 24 horas, 1.001 mortes foram registradas por conta do vírus. Prevê-se que esses números acentuados piorem nas próximas semanas. Especialistas da OPAS calculam que o Brasil terá 1.020 óbitos por dia até o final de junho, culminando em um total de 88.300 mortos em 4 de agosto.
Já um estudo da Universidade de Washington alerta que o número de óbitos no Brasil pode subir para 125 mil no início de agosto – um aumento de cinco vezes em relação ao registro atual.

Deixe uma resposta

A %d blogueros les gusta esto: